O que é uma comunidade? What is a community?(in english)


De acordo com alguns escritores, a palavra é originária do latim “Communis” que quer dizer comum. Communis, pode por sua vez originar as seguintes combinações de palavras:
· Cum (junto) + munus (bens ou serviços). Aqui a palavra significa pôr em comum bens ou serviços.
· Cum (junto) + unus (um). Aqui podemos interpretá-la com o sentido de unidade ou uno.
A primeira interpretação de comunidade faz da reciprocidade um importante requisito e assume que as pessoas são racionais e capazes de escolher as comunidades baseadas na reciprocidade das relações que cada um tem para oferecer.
A segunda interpretação relaciona a comunidade com comunicação e ambas as palavras são usadas em contextos em que o ênfase é reunir as pessoas.
De acordo com Taylor (1982), os atributos que são possuídos por todas as comunidades são os seguintes:
· Crenças e valores comuns;
· Relações directas e indirectas entre os membros;
· Reciprocidade.
O advento das Novas Tecnologias da Comunicação modificou a maneira como as pessoas olham para a comunidade.
Desde logo, sem chegar a afirmar que a Internet traça uma representação das redes sociais tradicionais, não podemos negar o paralelismo que existe entre as duas. Mais, seria uma autêntica tentação afirmar que a rede Internet nos mostra, ainda que de forma muito acelarada e visível, os fluxos e estruturas da rede real.
Em muitos aspectos, a revolução das telecomunicações provocou apenas uma mudança quantitativa não qualitativa, dentro da estrutura dos sistemas de comunicação social.
O debate sobre a criação de comunidades virtuais e a sua possível comparação com outro tipo de redes reais, ou tradicionais, não pode limitar-se a afirmar que existe um reflexo directo entre ambos os tipos de redes, como se funcionassem de forma paralela. Em muitos casos, isto pode estar certo. Por exemplo, um grupo de amigos que em determinado momento começa a comunicar-se via e-mail. À medida que se escrevem, o conteúdo, e o tipo de mensagens, terá sempre uma determinada analogia com a relação “real” que já existia anteriormente.
Mas o resultado poderá ser mais complexo, já que se gera um conjunto de relações que dependem de outro tipo de redes. Isto é, a análise social deve passar necessariamente pelo estudo da interacção de um tipo de rede com as outras.
O rápido crescimento da Internet só nos fez acelerar o nosso planeamento na construção da dita rede das redes. O estudo da Internet não pode realizar-se de forma isolada, mas sim integrado no conjunto das outras redes de tipo social. O chat ou IRC é a forma de comunicar em tempo real na Internet. Através de um chat obtemos informação imediata e transcrita sobre o tempo de conversação ou de resposta, sem ter em conta a distância entre duas pessoas ou em grupos.
É fácil pensar que as comunidades off-line (reais) e on-line (virtuais) são diferentes, logo impossível de estabelecer uma comparação. Mas, qual o fundamento? A distância geográfica? A ausência de linguagem corporal? Os meios de comunicação disponíveis? Será que comunicar em bits e bytes não tem o mesmo efeito imediato da comunicação em presença?
Os meios ao dispor das comunidades on-line podem ser diferentes, contudo a forma de comunicar será basicamente a mesma. As comunidades virtuais necessitam de confiança, de identidade, de zonas de lazer, tal como em qualquer comunidade real. A única diferença reside no espaço de encontro dos indivíduos. Aqui, ao contrário das comunidades reais, é permitido que no mesmo contexto comuniquem muitos-com-muitos.

Comunidades Virtuais