The following was originally published September 30, 2008 at http://educaeaprende.blog.com/
Naquele dia, deu-me para as arrumações... fui encontrar coisas de há mais de 25 anos... do tempo em que as festas se faziam na garagem de um amigo... Andei a vasculhar antigos LP's (os tais que ainda eram de vinil) e antigas cassettes de video (VHS e 8 mm).
Num ápice desencantei um gira-discos e um leitor de cassetes VHS. Adiei as arrumações para outro dia... e pus-me a visionar as cassettes... Ora bem... lá estava eu, muito mais jovem (claro), numa festa de garagem, com luzes a piscar, com bola de pequenos espelhos que brilhavam e criavam "atmosfera". Uma dúzia de amigos a dançar ao som dos Pixies, dos Dexie Midnight Runners, dos Depêche Mode... e, de repente, ouve-se uma música mais lenta... um slow... em francês (oh la la)... e os pares juntam-se... Era o Joe Dassin... tão agarradinhos que nós estávamos! Tanto amor no ar... tantos namoricos... tanta juventude!
"Et si tu n'existais pas
Dis-moi pourquoi j'existerais
Pour traîner dans un monde sans toi
Sans espoir et sans regret


Et si tu n'existais pas
J'essaierais d'inventer l'amour
Comme un peintre qui voit sous ses doigts
Naître les couleurs du jour
Et qui n'en revient pas


Et si tu n'existais pas
Dis-moi pour qui j'existerais
Des passantes endormies dans mes bras
Que je n'aimerai jamais".....


A música continuava... e os pares iam rodopiando lentamente... Face com face... corpo unido... um sussurro aqui e outro ali, umas palavras ditas ao ouvido...
O amor andava no ar!

Oh tempo, volta para trás!!!!!